Quarta, 24 de Julho de 2024
20°

Tempo limpo

Brasiléia, AC

Educação Acre

Etapa estadual da 2ª Conferência de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde ocorre em Rio Branco

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Saúde (Sesacre), em parceria com o Conselho Estadual de Saúde (CES), realizou a abertura da 2ª Conferê...

04/07/2024 às 08h45
Por: Redação DN Fonte: Secom Acre
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Secom Acre
Foto: Reprodução/Secom Acre

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Saúde (Sesacre), em parceria com o Conselho Estadual de Saúde (CES), realizou a abertura da 2ª Conferência Estadual de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde, na terça-feira, 2, no auditório da Unimeta, em Rio Branco. O evento se estenderá até a quinta-feira, 4, das 8h às 17h30.

Gestores do Estado compõem a mesa de abertura. Foto: Odair Leal/Sesacre
Gestores do Estado compõem a mesa de abertura. Foto: Odair Leal/Sesacre

A conferência é distribuída em três etapas que ocorrem durante o ano, com desenvolvimento nos âmbitos municipal e estadual, até que sejam definidas as propostas que entrarão em discussão no cenário nacional. Inicialmente, com a participação dos usuários, trabalhadores e gestores do Sistema Único de Saúde (SUS), são levantadas e debatidas pautas que sejam de interesse coletivo para a melhoria da saúde nas localidades, destrinchada entre 3 eixos centrais, visando a elaboração de estratégias que solucionem as problemáticas e resultem na consolidação de políticas públicas que agreguem no bem-estar da comunidade.

A presidente do Conselho Estadual de Saúde em exercício, Lucrécia Batista Pereira, pontuou a importância da participação de toda a população na construção desses debates.

“O ideal é que a população se faça presente, tanto o trabalhador como o usuário, porque o objetivo da conferência é discutir melhorias no ambiente de trabalho, para que os programas do Ministério da Saúde sejam bem desenvolvidos junto à comunidade, pois o SUS é de todos nós”, acrescentou.

Os debates estão segmentados entre o eixo 1: Democracia, controle social e o desafio da equidade na gestão participativa do trabalho e da educação em saúde; eixo 2: Trabalho digno, decente, seguro, humanizado, equânime e democrático no SUS: uma agenda estratégica para o futuro do Brasil; e eixo 3: Educação para o desenvolvimento do trabalho na produção da saúde e do cuidado das pessoas que fazem o SUS acontecer: a saúde da democracia para a democracia da saúde. Cada um é pontuado com a necessidade de retratar e compreender a demanda complexa que é o trabalho e educação na saúde.

Evento ocorreu no auditório da Unimeta. Foto: Odair Leal/Sesacre
Evento ocorreu no auditório da Unimeta. Foto: Odair Leal/Sesacre

A conferência contou com a participação de delegados natos, usuários, trabalhadores de saúde, gestores, convidados para a construção de serviços de qualidade e resolutivos.

Segundo o delegado do segmento de usuário do SUS, Neudo Lopes da Silva, as tratativas estão sendo iniciadas em uma esfera municipal para então seguir maximizando geograficamente é de grande importância para retratar as especificidades de cada região.

“Tendo em vista que o nosso país, em si, tem uma diversidade muito grande em parâmetro geográfico territorial, com a conferência sendo discutida nos municípios é possível construir propostas conforme a demanda de cada localidade. Isso é muito bom, porque a própria comunidade participa e constrói a saúde que ela quer”, reforçou o representante.

Secretário de Estado de Saúde do Acre, Pedro Pascoal, reforçou a importância de assistência aos trabalhadores que compõem o SUS. Foto: Odair Leal/Sesacre
Secretário de Estado de Saúde do Acre, Pedro Pascoal, reforçou a importância de assistência aos trabalhadores que compõem o SUS. Foto: Odair Leal/Sesacre

O secretário de Estado de Saúde do Acre e presidente da 2ª Conferência Estadual de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde, Pedro Pascoal , apontou dados levantados pelo Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), que constatam que no Brasil, 75% das pessoas trabalhadoras em exercício no SUS são mulheres, com faixa etária média de 40 a 44 anos de idade, que contribuíram demasiadamente com o Estado e merecem as devidas retribuições.

“Queremos valorizar os profissionais, para que possamos dar uma saúde de qualidade para a população. Nós sabemos que trabalhadores descontentes refletem na piora do atendimento à população, ou seja, são profissionais que necessitam de local digno para trabalhar, como também de uma boa remuneração”, concluiu o secretário.

Participaram, também, da cerimônia de abertura, gestores do Estado e dos municípios, deputados estaduais e federais, representantes dos conselhos Nacional, Estadual e Municipal de Saúde, do Ministério Público do Acre (MPAC), e o superintendente do Ministério da Saúde no Estado do Acre, em exercício.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Brasiléia, AC Atualizado às 08h01 - Fonte: ClimaTempo
20°
Tempo limpo

Mín. 20° Máx. 36°

Qui 37°C 19°C
Sex 38°C 20°C
Sáb 39°C 22°C
Dom 39°C 23°C
Seg 39°C 22°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Ele1 - Criar site de notícias